Home / Bareback / BiLatinMen – Brayam & Roque – Primo safado do Interior – Bareback

BiLatinMen – Brayam & Roque – Primo safado do Interior – Bareback

Meu pai é um cara muito bravo, ele se tornou um alcoólatra depois da morte da minha mãe, eu era pequeno e tinha um irmão menor ainda. Vivemos muito tempo, com minhas tias que nos buscavam toda vez que ele ficava muito atacado. Agora, meu pai esta recuperado, não bebe mais é encarregado de obra e se casou de novo.

Eu tenho 17 anos e sou assistente de pedreiro, meu pai que arrumou essa vaga. Parei de estudar, porque a obra é distante da escola e da minha casa. Mas a construtora, esta investindo num curso, na obra mesmo, então vou fazer a prova para tirar o certificado do ensino médio.

Baixar Vídeo 68MB

Meu pai tem um sobrinho e afilhado que é do interior da Bahia, ele gosta muito deste afilhado e o trouxe para morar conosco. Só que moramos em uma casa muito pequena, tem só dois quartos, cabe só minha cama e do meu irmão de 13 anos. Meu pai me avisou da decisão e disse mais, que eu dividiria minha cama com ele.

Ele chegou no fim de semana, seu nome é Roque, mas tem o apelido de Brayam. Ele tem 21 anos, é moreno, tem 1,70m e 72kg, tem ombros largos, coxas grossas e bundudo, sem pelos e cabelos curtos e crespos. Tem um rosto arredondado, boca carnuda, olhos castanhos, meio cor de mel. Já trabalhou na roça e trabalhava no comercio da cidadezinha dele, até perder o emprego, por isso meu pau ajeitou essa vaga para ele também.

Eu me chamo Brayam, tenho 1,72m, sou bem mais alto que o Brayam, e peso 70, sou moreno também, tenho corpo definido, cabelos curtos pretos, tenho um pouco de pelos nas pernas e fios finos nos braços. Rosto liso, sem barba, tenho pernas grossas, e sempre gostei de bater uma bola, coisa que meu pai sempre implicou.

Brayam chegou e meu pai deu a ele as orientações e falou que não gostava de bagunça, que iria dormir na cama junto comigo até comprarmos uma beliche. E disse se seguir as minhas regras vai da tudo certo. No mais, tratou o meu primo muito bem, muita conversa, coisa que meu pai não era muito dado. Confesso que me causou um certo ciumes, que me levou ficar invocado com o Brayam.

Na primeira noite, dormimos cada um pro lado, foi foda, o cara mexia muito e me acordou diversas vezes.

Fui falar isso com meu pai , quase tomei um tapão no pé da orelha.

Eu tava emburrado, mas ninguém me dava bola, meu primo nem percebia. Meu pai insistia que eu fizesse companhia pra ele.

Brayam ficava sem camisa o dia inteiro e não gostava de usar cueca e ficava pegando no pinto o tempo todo. Eu gozava a cara dele e ele ficava com uma brincadeiras bobas pro meu lado.

No domingo a noite, meu pai falou que não era pra demorar a deitar, porque amanhã cedo iámos todos pro trabalho juntos. Fui pra cama, logo depois que meu irmão se deitou, ele dormia rapidinho.

Deitei e o Brayam também veio. Usando um short fino e sem cueca…começou me chamar baixinho, quase sussurando, primo, ô primo. Perguntei, o que é?

Vamos brincar nós dois de troca-troca…eu falei…sai fora, ôh, sou viado, não.

Ele falou: eu também não sou mas, entre primos isso não é problema…olha o tesão que eu tô…falei: para Sô. Num quero saber dessa brincadeira não. Ele pôs o pau dele pra fora, me mostrando o cacete. Falei para com isso…se pai pega, ele mata nós.

Tava foda, estávamos os dois numa cama de solteiro, próximos demais e acabei ficando de tesão também, ele ficava enroscando os pés na minhas pernas e segurava o pau com uma mão e com a outra queria me alisar.

De repente, tacou a mão no meu pau e sussurrou : porra, seu pau tá durão, você quer também, vamos fazer uma chupetinha um no outro…falei de jeito nenhum…ele insistiu e me agarrando e encostando o pau duro em mim.

Falei: Porra, Brayam, para com isso. Ele respondeu: não dá tô de tesão demais e você também. Comecei ficar intranquilo, porque qualquer barulhinho meu pai poderia ouvir e o Brayam era insistente.

Ele falou vamos mamar um pro outro e agente dorme tranquilo em seguida. Ele abaixou o meu short e pegando diretamente no meu pau duro. Falou: eu vou por minha boca no seu tico e se você não fizer o mesmo, vou fazer barulho e acordar o tio. TICO é uma das formas que eles falam pinto na Bahia. Foi foda, mas obedeci…ele chupava o meu cacete bem gostoso, a sensação era muito boa. Tesão demais, ele sugava a cabeça do meu pau com força, nunca tinha sentido aquilo.

Comecei chupar dele, meio que sem prática, tinha um gosto muito estranho, parecia que estava vivo, tinha um gostão forte e a pica dele era grossa, tinha um cabeção, só pus a cabeça na boca. Rapidamente, senti uma babinha e não demorou muito seu leite invadiu minha boca, assustei com aquilo, era muito , quente e um gosto mais esquesito ainda. Não sabia o que fazer com aquilo na boca, a respiração dele havia mudado, emitiu alguns sons baixinho.

Morri de medo dele me deixar na mão, mas mesmo depois de ter gozado ficou me chupando até eu gozar também…fiquei um tempão, com aquele leite na boca, até engulir, como ele fez com o meu. Puxamos os shortes e pussemos a cabeça no travesseiro e dormimos, ele dormiu rapidamente eu fiquei com a situação na cabeça até o sono chegar.

No outro dia, trabalhei pensando naquela situação, ficava preocupado e um pouco de tesão. Tinha medo do meu pai perceber qualquer coisa. Fiquei pra trás na volta por conta do curso, eles voltaram primeiro cheguei em casa por volta das 7:30 e logo, logo o primo veio puxando conversa se eu não tinha gostado de que nós fizemos, eu falei com ele que não e que não iámos fazer mais aquilo, mas foi em vão.

Na hora deitar foi a mesma coisa…ele começou: Pô , Robinho, vamos brincar, foi gostoso, você gostou também…e foi tudo meio a meio, ninguém furou o olho de ninguém…tentei resistir, mas começamos mamar um ao outro de novo e confesso que desta vez, achei melhor, tanto de chupá-lo quanto de ser chupado.

Ele demorou um pouquinho mais desta vez a gozar, e caprichou na mamada na minha rola…até gemi desta vez, de tão gostoso que tava. Acabou que essa porra de situação durou a semana toda. Ele foi ficando cada vez mais atrevidinho, querendo passar a mão na minha bunda, batia pra eu gozar mais rapido, tudo isso até no sábado.

Fomos nos entrosando mais, mesmo porque era uma coisa que se meu pai soubesse nós estaríamos fudido, eu mais ainda, né? Mas, pelos menos fazia algo escondido do meu pai. Ele tentava até regular minhas punhetas no banho, tinha dia que ele ficava me mandando sair depressa do chuveiro, era como se ele soubesse que tava batendo uma naquele momento.

Na noite de sábado, fomos eu o primo numa lan house, perto de casa, ficamos lá até umas 8:30, pai falou que nada de chegar tarde e nem por bebida na boca. Chegamos em casa assistimos um pouco de tv com pai e logo depois ele foi dormir e avisou que não era pra gente demorar também.

Fui pra cama, Junior , já dormia e já esperava começar a mamação entre eu e o Brayam. Ele já deitou dando uma risadinha e pegou na minha pistola que tava dura e falou, nossa primo, você tá com tesão ,hein? Não respondi nada, só dei uma risadinha baixinha…ele falou assim: vamos fazer troca-troca por trás, eu falei que isso, primo? Eu ponho meu pau no seu cu e você põe seu no meu….eu falei: não vamos mexer com isso não…ele foi insistindo e falou, você me come primeiro depois eu te como.

Tava com muito tesão já e aquela conversa tava me deixando louco, ele me empurrou para o canto da cama e abaixou o short e deitou de bruço e falou pra eu ir logo, senão ele ia me pegar a força. Quando resolvi ir pra cima dele, ele só falou assim, cospe ai, cospe ai…cuspi na mão e passei no cuzinho dele.

Ele tinha uma bundona, que na verdade era gostosa, lisinha, lembrava até bunda de mulher…tratei de deitar em cima dele e fui enfiando meu cacete no cu dele. Meu pau não é pequeno, mas não era tão grosso, quando comecei, ele falou vai divagar, não envia de uma vezada só, não, viu?

Entendi e fui penetrando…era também uma sensação gostosa, era um cuzinho quentinho e apertado, fazia uma pressão na cabeça do meu pau…foi entrando tudo e já estava bombando…fiquei com medo do barulho, mas estava descontrolado de tesão…fiquei metendo, bombando até gozar…ele foi me avisando antes de tirar…que ele queria me comer de qualquer jeito, que ele quase gozou na cama quando eu comecei meter.

Deitei de bruços, relaxado, mas fiquei tenso, ele tinha uma pistola grossa, não era muito grande e como nunca tinha feito achei que poderia doer muito. Ele fez algo diferente, ele meteu a língua no meu cu. Sussurrei: que é isso Brayam? Ele respondeu: é gostoso chupar um cuzinho, ele lambia e forçava a ponta da língua para dentro do cu.

Depois deitou em cima de mim e apontou a cabeça bem na portinha e foi forçando a entrada, entrou e doeu. Pedi para parar, ele parou, mas ficou na pressão e enfiou mais um pouco e gozou logo para o meu alivio.

No domingo, ele ficava fazendo umas brincadeiras e fui ficando mais tranquilo com a situação, mas falei com ele que topava continuar a brincadeira, mas que não ia dar mais não, que não tinha gostado e que agente ia sair na porrada.

Chegou a noite, ele foi deitar primeiro que eu. Quando entrei no quarto ele estava ocupando a cama toda e só o lençol cobrindo ele, deitado de bruços peladão. Entendi o recado, e arrisquei de aproximar a boca no cu dele e cuspi, ele deu uma gemidinha e deitei em cima e fui metendo. Ele dizendo, ai primo, ai primo, meu cacete entrou gostoso, fui bombando acelerado e ele apertava o cuzinho de uma forma que me deixava louco. fui bombando dentro daquele cuzinho quente e descontrolei nos meus gemidos e suspiradas e ejaculei dentro dele…ahahahah… Tirei logo, apoas gozar e me encostei no canto da parede.

Ele bateu e gozou rapidinho e pediu que buscasse papel pra limpá-lo, porque não poderia cair porra na cama e nem ficar na roupa. Busquei pra ele e dormimos.

A partir desta noite mudamos, ou eu o comia ou ele me mamava e eu gozava ou na boca dele e ele engolia ou dentro do cu dele. As vezes eu punha a boca na hora dele gozar, quando agente esquecia o papel par limpar a porra.

Dois meses depois a beliche chegou e fui saindo fora desta situação. As vezes ele me chupava em pé. Eu ia subir pra cama e ele ficava sentado na cama me chupando até eu gozar.

Conheci uma menina e comecei namorar com ela e falei que não ia fazer mais aquilo.

Ele nunca me contou nada, mas o vi de papo com um vizinho, o Marlon, que tinha uns 27 anos, era negro forte e alto e tinha uma cara muito safada e eles saiam juntos sozinho, deveria acontecer alguma coisa entre eles.

Abração a todos.

About Marcelo Costa

Sou apaixonado por conteúdo adulto, vídeos, fotos, contos e tudo mais. Mas gosto de um conteúdo que só de ver uma foto o tesão sobe loucamente. E por isso participo da equipe desse Blog.

Check Also

SeanCody – Jack Fucks Lane – Bareback

Jack e Lane estavam passando o dia na piscina para relaxar e não podíamos deixar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *